• Dra. Paula Reichert Leite

Telômeros e Longevidade







Telômeros são estruturas nas extremidades dos cromossomos que impedem que esses se danifiquem e também os ancoram no núcleo para uma divisão celular correta.


O tamanho dos telômeros encurta cada vez que a célula se divide, até chegar ao ponto que está tão curto que pode haver perda de material genético, então a célula recebe o sinal para não se replicar mais e morre. A Telomerase é uma enzima que previne esse encurtamento.


Sem Telomerase a célula envelhece precocemente até virar uma célula senescente, com mitocôndrias ruins, que não só para de funcionar direito como começa a liberar citocinas inflamatórias que envelhecem as células vizinhas, como uma laranja podre no saco.


Telômeros de um recém nascido tem 10.000 kb de comprimento. Aos 65 anos, 4.800 kb. Estão portanto ligados à longevidade e qualidade de vida. Telomerase baixa afeta como envelhecemos e o aparecimento de doenças degenerativas como Câncer, Doenças Cardiovasculares, Demência (Alzheimer, Parkinson), Osteoporose, etc.


Os telômeros estão mais sujeitos a danos por radicais livres pois não possuem o mecanismo de defesa do DNA para reparo. Telômeros curtos enfraquecem nosso sistema imune e geram inflamação (ciclo vicioso).


Sinais de envelhecimento como flacidez de pele, cabelos brancos, osteoporose etc. são típicos de células com telomerase baixa.


Trabalhos Científicos revelam:


Encurtam telômeros:


- Envelhecimento

- Stress

- Trauma

- Pensamentos negativos, “ruminação”, vergonha

- Isolamento social

- Depressão, Ansiedade

- Privação de Sono (ver post)

- Sedentarismo (ver post de Músculo como glândula)

- Overtraining

- Obesidade visceral

- Stress Oxidativo, ou seja, excesso de radicais livres produzidos nas mitocôndrias.

- Toxinas (álcool, fumo, metais pesados, PCBs, BPA, parabenos)

- Inflamação crônica

- Aumento de Homocisteína

- Aumento da Glicemia e Insulina

- Deficiências de Vitaminas e Minerais

- Carne vermelha

- Embutidos

- Açúcar

- Radiação UV



Alongam telômeros:


- Dieta Mediterrânea, anti-inflamatória, rica em plantas, peixes, pobre em açúcar e farinhas, baixa carga glicêmica

- Jejum Intermitente

- Fitoquímicos ampliam nossa capacidade antioxidante (ver post) como Polifenóis (chocolate amargo, café), Resveratrol, Catequinas do chá verde, Quercetina, Curcumina, Antocianidinas (pigmento roxo em mirtilos, amoras, alface roxa etc).

- Ômega 3 (peixes, algas, castanhas e sementes como chia, linhaça, gergelim)

- Vitaminas e Minerais

- Fibras

- CBD

- Óleos essenciais manjericão, alecrim

- Sono adequado

- Melatonina

- Stress manejado

- Perceber stress como desafio

- Auto-compaixão

- Meditação

- Qigong & Yoga

- Atenção Plena

- Atividade física aeróbica

- Suplementos antioxidantes: NAC, Glutationa, ALA, PQQ, etc

- Hormônios equilibrados

- Relacionamentos saudáveis e sexualmente ativos


Hoje existem testes para checar seus telômeros e ver como você está envelhecendo! São excelentes para motivar o paciente a aderir a melhores hábitos de vida.


Curiosamente, aumentar a Telomerase naturalmente com Mudanças de Estilo de Vida acima é o ideal. Ao tentar estimular demasiadamente com drogas e suplementos em overdose há o risco de aumentar demais a longevidade de células com mutações e desenvolvermos câncer. Toda suplementação deve ser sempre feita sob supervisão médica / nutricional.


Quer aprender mais? Leia o livro “O Segredo está nos Telômeros”, das cientistas ganhadoras do Nobel por descobrir a Telomerase, Elizabeth Blackburn & Elissa Epel.


Um 2022 com telômeros mais longos para todos nós!


Gostou do conteúdo? Compartilhe!!!

21 views0 comments

Related Posts

See All